Rádio Santa Cruz - FM

PARÁ DE MINAS EM DESTAQUE


Balanço do temporal de quarta-feira: inundações, famílias desabrigadas, perdas no comércio, rompimento de lagoa e o caos na cidade

12/11/2021

Há 0 comentários para essa notícia.

Highslide JS

Inundações, sujeira, famílias desabrigadas, uma comerciante que perdeu quase todo o estoque, rompimento de lagoa e até peixes em via pública. Esse é o balanço do temporal que caiu sobre Pará de Minas na última quarta-feira.

A chuva começou por volta das nove horas da noite e se intensificou uma hora depois. Em cerca de 50 minutos choveu mais de 32 milímetros. 

A intensidade e o volume das precipitações provocaram alagamentos em diversos pontos da cidade. Houve registros em áreas próximas às margens do Ribeirão Paciência – como a Ponte Grande e a avenida Presidente Vargas.

Na entrada do bairro Dom Bosco – próximo ao Stop Shop – a situação também ficou caótica, assim como na avenida Alano Melgaço, na rua Benedito Valadares, entre outras regiões dos bairros Padre Libério, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora das Graças e Jardim das Oliveiras.

No Padre Libério uma família que mora na rua João XXIII perdeu praticamente tudo: roupas, móveis e vários pertences. Na casa moram cinco pessoas, entre elas uma criança de 4 anos e um cadeirante de 19 anos.

Eles foram abrigados em um bazar que fica ao lado da casa. Rosiane Regina, vizinha da família, enviou um áudio ao Jornal da Manhã pedindo ajuda da população.

Quem puder ajudar a família, principalmente com roupas, pode entrar em contato com Emiliane através dos telefones 99812 5816 ou 99192 4696.

Entre outros pontos mais críticos, destaque para as avenidas Professor Melo Cançado e Argentina. Uma grande correnteza se formou no local e o motivo, além da forte chuva, foi o rompimento da lagoa do Bariri II, segundo confirmou a prefeitura. 

Por causa disso, minutos após o escoamento da água, foi possível ver até alguns peixes nas ruas próximas ao Parque do Bariri. Um vídeo que circula pelas redes sociais, mostra jovens carregando um peixe lutando para sobreviver fora d’água e outro já no chão, aparentemente sem vida.

Diversos estabelecimentos comerciais também foram afetados, caso das lojas que ficam próximas à esquina da rua Manoel Batista. O Jornal da Manhã conversou com Leda de Almeida, Eurico Fernandes e Ana Bárbara, proprietários de estabelecimentos no local. 

A lojista mais prejudicada foi Ana Flávia dos Santos Fonseca, proprietária da Flávia Modas, que teve cerca de R$ 8 mil de prejuízo. Abalada e revoltada com a situação, ela desabafou:

O prefeito Elias Diniz passou o dia percorrendo as áreas afetadas. Ao comentar os alagamentos na avenida Argentina com rua Manoel Batista, ele disse que foi um situação atípica, devido ao rompimento da lagoa.

Elias também reafirmou que o sistema de captação de água não suportou o volume de chuva devido à intensidade e a quantidade que caiu em quase uma hora. 
Segundo ele, se fosse uma chuva distribuída, ou seja, se os mais de 50 milímetros caíssem numa carga menor e por mais tempo, as galerias pluviais teriam aguentado.

O prefeito confirmou que, além da família do Padre Libério, outras três famílias que residem no bairro Nossa Senhora de Fátima também ficaram desabrigadas. O município ofereceu a elas o aluguel social, que é um recurso assistencial mensal destinado a atender, em caráter de urgência, quem se encontra sem moradia. 

Elias anunciou ainda uma intervenção no bairro São Geraldo, retirando famílias das casas em locais de risco.

Por fim, o prefeito de Pará de Minas voltou a pedir apoio da população. Segundo ele, a responsabilidade é de todos e o momento requer esforço coletivo para evitar que os fatos não se repitam.

Ainda na tarde de ontem, o prefeito se reuniu com parte da equipe de governo, representantes da Defesa Civil, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, para tratar das ações emergenciais e preventivas. 

PREVISÃO DA METEOROLOGIA – As fortes chuvas que atingem boa parte de Minas Gerais devem continuar intensas hoje, segundo alertou o Instituto Nacional de Meteorologia. O Inmet emitiu três alertas diferentes que, somados, englobam 751 dos 853 municípios mineiros.

Em Belo Horizonte existe possibilidade de risco geológico forte até domingo. O grau de saturação do solo é alto e é preciso ter cuidados com quedas de muros, deslizamentos de terra e desabamentos.

Na região Leste de Minas, nos vales do Aço e Rio Doce, já provocaram um deslizamento de terra que interditou totalmente uma rodovia em Timóteo.

A rodovia faz parte do antigo trecho da BR-381 e permanecerá interditada por tempo indeterminado. Com o deslizamento houve a queda de duas pedras impedindo o trânsito no local. 

O trabalho para remover as rochas depende de avaliação geológica do local, onde há risco de novos deslizamentos. Com isso o acesso ao município de Timóteo para quem chega ao Vale do Aço vindo de Belo Horizonte deve ser feito pelo anel rodoviário. 

Outras nove cidades da região do Vale também exigem maior atenção: Aimorés, Ataléia, Cuparaque, Itueta,  Mantena, Nanuque, Nova Belém, Resplendor e São João do Manteninha.

Devido ao acumulado de chuvas, existe o risco de grandes alagamentos e transbordamentos de rios, bem como de grandes deslizamentos de encostas, em cidades com tais áreas de risco.

Fotos: Amilton Maciel/Rádio Santa Cruz FM, Prefeitura de Pará de Minas/Divulgação e Redes Sociais/Reprodução




Clique nas fotos para ampliar


Veja também



 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 Fim




Seja o primeiro a comentar

RECEBA NOVIDADES

Cadastre-se e Receba no seu email as últimas novidades do mundo contábil.

Siga-nos

© Copyright - 2018 - Todos os direitos reservados - Atualizações Rádio Santa Cruz FM. Desenvolvido por:Agência Treis