Rádio Santa Cruz - FM

PARÁ DE MINAS EM DESTAQUE


Prefeito Elias Diniz decepcionado com os números do IBGE: estimativa não bate com dados do município

02/09/2021

Há 0 comentários para essa notícia.

Highslide JS

O prefeito Elias Diniz oficializou sua insatisfação com a estimativa da população de Pará de Minas divulgada pelo IBGE. Ele estava na expectativa de que o município atingisse a marca dos 100 mil habitantes, mas os números não mostraram a evolução esperada.

Segundo o IBGE, Pará de Minas saiu de 94.808 pessoas no ano passado para 95.616 moradores, crescimento de apenas 0,85%. A expansão populacional foi menor que cidades vizinhas como Igaratinga, São José da Varginha, Pitangui e Nova Serrana. Todas elas tiveram mais de 1% de aumento de um ano para o outro.

Descontente, Elias afirmou que Pará de Minas tem mais habitantes que a população estimada pelo IBGE e é possível comprovar isso pelos dados levantados através de serviços oferecidos nas áreas da saúde e educação, por exemplo. O prefeito ainda criticou a metodologia do IBGE.

A frustração do prefeito por Pará de Minas não ultrapassar a marca dos 100 mil habitantes se dá também por uma questão de classificação no Fundo de Participação de Estados e Municípios (FPM). 
A estimativa do IBGE é um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União para o cálculo de participação das prefeituras. Entenda a diferença do município ser reconhecido com mais de 100 mil moradores. 

Segundo o IBGE, as estimativas populacionais foram feitas por procedimento matemático e representam a distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. 
Ainda segundo o instituto, o método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios.

Ela é esboçada pelas populações municipais dos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e devidamente ajustada. 
Por fim, o IBGE revelou que os efeitos da pandemia não foram incorporados na estimativa deste ano por diferentes fatores como, por exemplo, a necessidade de consolidação dos dados de mortalidade e fecundidade. 

Fotos: Arquivo/Rádio Santa Cruz FM




Veja também



 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fim




Seja o primeiro a comentar

RECEBA NOVIDADES

Cadastre-se e Receba no seu email as últimas novidades do mundo contábil.

Siga-nos

© Copyright - 2018 - Todos os direitos reservados - Atualizações Rádio Santa Cruz FM. Desenvolvido por:Agência Treis